News

Publicidade



 

sexta-feira, 21 de junho de 2019

Benefícios da coalhada: um lanche saudável com lembranças da fazenda

Caseira, industrializada, cremosa ou salgada, a coalhada é referência nas refeições de diferentes gerações do Brasil e do mundo, em especial na mesa dos sertanejos. Para quem nunca teve o privilégio de degustar ou tem curiosidade em conhecer os benefícios dela para a saúde do organismo, a nutricionista Larissa Luna fala sobre a importância da inclusão desse alimento no cardápio.

A coalhada é rica em cálcio, fósforo e fonte de probióticos, micro-organismos vivos que participam da regulação no trato gastrointestinal. Por meio desse auxílio, o consumo do alimento com frequência age no controle do intestino, evitando situações de constipação e diarreia.

"Como os reflexos do intestino agem de maneira sistêmica, a melhora na microbiota intestinal provocada por conta da ingestão da coalhada pode ter efeitos positivos no controle da ansiedade e boa resposta imunológica", ressalta Larissa Luna.

Por ter uma boa quantidade de carboidratos e proteínas, a coalhada é forte aliada na composição corporal e da massa magra. Porém, como todo alimento, sozinha ela não faz milagre. Por isso, a nutricionista diz que uma porção diária de 100kg a 200kg juntamente com refeições balanceadas podem alcançar os benefícios.

Tipos e combinações

A coalhada é uma fração do leite que pode ser produzida de diferentes maneiras, além das várias possibilidades de incorporá-la na dieta. De acordo com a nutricionista, duas versões bastante conhecidas e requisitadas são a cremosa, com sabor mais doce, e a seca que agrada o paladar de quem prefere o tempero salgado. A coalhada também contém uma considerável quantidade de carboidrato, de gordura e de proteína. Por isso, ela é apontada pela especialista como boa sugestão para o café da manhã, lanche da tarde ou ceia.

Para incrementar o sabor e as funcionalidades da coalhada, Larissa Luna indica a combinação com frutas vermelhas, ricas em antioxidantes, a exemplo do morango, uva e maçã. Outras associações que agregam valor nutricional e harmonizam muito bem com a iguaria são o kiwi, o damasco ou mesmo as oleaginosas castanhas- de-caju e do-pará.

Já a opção salgada é bastante requisitada na substituição do patê e do requeijão. Essa versão pode ser produzida com a adição de pimenta-do-reino, orégano e alecrim. "Use e abuse da sua criatividade e os temperos garantirão um sabor todo especial às propriedades e à estética do prato. A versão seca combina muito com o pão; a torrada, no café da manhã, complementando mais a refeição", diz Larissa.

Indicações

Por ser fonte de cálcio e ferro, o consumo da coalhada contribui de maneira eficaz na saúde óssea e dental, já que esses micronutrientes participam da sua formação e manutenção. Por essas razões, a nutricionista afirma ser o alimento uma excelente sugestão de consumo para a população idosa. "Esse grupo necessita mais desses nutrientes. Além disso, é de fácil deglutição", ressalta Larissa.

Finalidades

A COALHADA é rica em probióticos, micro-organismos vivos que agem de maneira benéfica para o funcionamento do intestino; 

ALÉM DISSO, o alimento possui alto teor de fósforo e cálcio, micronutrientes importantes na manutenção da musculatura, ossos e dentes;

POR AJUDAR na funcionalidade da microbiota intestinal, o consumo da coalhada ajuda a controlar a ansiedade e apresenta boa resposta imunológica; ALIADA a uma alimentação saudável, rica em carboidrato e proteínas, a coalhada favorece a composição corporal e o aumento da massa magra;

A POPULAÇÃO idosa é uma das mais beneficiadas com a quantidade de cálcio e fósforo presentes nesse alimento. Isso porque esse grupo necessita de uma demanda maior desses micronutrientes;

ALÉRGICOS à proteína do leite de vaca e alguns intolerantes à lactose, dependendo do grau, devem evitar o consumo do alimento;

PARA quem deseja amenizar o sabor marcante e valorizar a iguaria, indica-se misturá-la a outros ingredientes como azeite e ervas finas para opções salgadas, ou mel e frutas vermelhas para a doce;

POR SER um alimento com excelente distribuição de macronutrientes, o ideal é consumi-lo nos intervalos das grandes refeições e na ceia.

Com informações do Diário do Nordeste.

Post Top Ad

Your Ad Spot